O Toque da Cura Energizando o Corpo, a Mente e o Espírito através da Arte do Jin Shin Jyutsu – Parte 1

O Toque da Cura Energizando o Corpo, a Mente e o Espírito através da Arte do Jin Shin Jyutsu –  Parte 1

OS FUNDAMENTOS DA ARTE

Uma estudante que queria conhecer a arte do Jin Shin Jyutsu participava da primeira aula. Durante o intervalo, a aluna se apresentou à professora, Mary Burmeister, dizendo-lhe que se sentia um tanto amedrontada. “Creio que não sei nada sobre o Jin Shin Jyutsu. Mary sorriu e disse, “Você já o conhece totalmente.”

Vivemos na era da informação. Os meios de comunicação transmitem eventos globais praticamente no instante em que eles ocorrem. A Internet nos põe em contato com dados especializados. Cada vez mais, esperamos que os avanços científicos e tecnológicos nos propiciem uma melhor compreensão de nós mesmos, trazendo consigo os segredos do bem estar. A crescente confiança que depositamos na informação externa vem aos poucos obscurecendo a consciência simples, inata, que faz parte da nossa natureza essencial.

Inerentes a essa consciência estão todos os instrumentos que precisamos para realmente aprimorar nossa saúde e a qualidade de nossa vida. A arte do Jin Shin Jyutsu nos permite desfrutar novamente dessa consciência. Além disso, ela nos ensina como utilizá-la para alcançar um maior bem-estar físico, mental e espiritual. Não se exige nenhuma técnica complicada nem qualquer esforço especial para aplicá-la. Suas sementes estiveram adormecidas dentro de nós durante milhares de anos. Para torná-las férteis novamente, basta apenas imbuirmos-nos do ensinamento de Platão de que “aprender é relembrar”.

01 – A VIDA EM TODAS AS COISAS Nos tempos primitivos, as pessoas não faziam distinção entre corpo, mente e espírito. Conseqüentemente, as práticas adotadas para cuidar do corpo promoviam naturalmente a integridade física, emocional e espiritual. Além disso, para elas, a saúde, ou “harmonia”, dependia do equilíbrio de elementos aparentemente distintos. O Jin Shin Jyutsu (pronuncia-se jin chin jitsu) nos ajuda a lembrar que cada um de nós dispõe dos instrumentos mais simples para produzir um equilíbrio harmonioso – a respiração e as mãos.

Ele nos lembra que esses instrumentos são tudo o que precisamos para aumentar nossa vitalidade física e mental, a qual por sua vez nos ajuda a eliminar as causas básicas de doenças ou “desarmonias”. Mais importante ainda, ele desperta novamente nossa consciência para a energia vital que impregna todo o universo. É essa consciência renovada que nos permite enviar essa energia vivificadora para as várias partes do corpo. Muitas pessoas não estão familiarizadas com o conceito de energia vital, que permeia o universo e emana vida para todas as coisas. Quase todo o mundo ocidental considera a vida apenas um conjunto de certos processos químicos que possibilitam a utilização da energia, do metabolismo, do crescimento e da reprodução. Esse conceito, transmitido pela ciência moderna, ressalta os aspectos biológicos da vida. Desse ponto de vista, a vida começa e termina com a biologia, ou seja, com a parte física da vida. Os praticantes de Jin Shin Jyutsu, porém – e na verdade, muitos povos de tradições consagradas pelo tempo em todo o mundo – se perguntam:

O que aciona essas interações químicas?

O que dá vida aos nossos órgãos e sistemas? Que força é essa que anima o corpo?

Na busca de respostas para essas perguntas, esses povos aprenderam a dirigir a atenção para a raiz da energia que dá vida ao corpo físico. Para eles, a vida está impregnada por uma única força viva que se manifesta em todo organismo individual – nas planta, nos insetos, nos animais e nos seres humanos. Os antigos gregos se referiam a essa energia com o termos pneuma; os hindus a chamam de prana; os chineses a conhecem com chi (ou também qi) e os japoneses, como ki.

O reconhecimento de uma energia vital que anima todas as coisas vivas não é apenas uma crença filosófica, mas acima de tudo uma atitude prática com relação à vida e à cura. De fato, todos os sistemas de cura tradicionais – desde a medicina ayurvédica até os tratamentos grego e chinês – baseiam-se no princípio de que a cura do corpo depende do fortalecimento e da harmonização do fluxo interno da energia vital. Esse princípio fornece as bases para artes como a acupuntura e a acupressura e também para as ervas e os alimentos curativos da medicina chinesa.

Mary Burmeister, introdutora do Jin Shin Jyutsu no mundo ocidental há mais de quarenta anos, ilustra a importância da energia vital através de uma analogia muito simples:

“O que aciona o motor do carro quando giramos a chave? A bateria. A bateria é a fonte de energia necessária para as várias funções do carro.

Agora, o que faz o coração bater? O que torna a respiração possível?

O que possibilita a digestão? A Bateria da Vida.

É necessária uma fonte de energia para que o corpo funcione. Essa fonte é a Bateria da Vida.”

 

Fonte: Alice Burmeister e Tom Monte O Toque da Cura Energizando o Corpo, a Mente e o Espírito através da Arte do Jin Shin Jyutsu® Prefácio Mary Burmeister Tradução Euclides L. Calloni

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s