LINHAGEM DO SANTO GRAAL – Parte III

LINHAGEM DO SANTO GRAAL
A LINHAGEM OCULTA DE JESUS REVELADA
Parte III
Por Lawrence Gardner

 

Os cristãos são ensinados que o pai de Jesus, José, era um carpinteiro, como explicado nos Evangelhos de língua inglesa. Mas não nos Evangelhos originais.

A melhor tradução realmente afirma que José era um Mestre do Ofício ou Mestre Artesão. A palavra “carpinteiro” era simplesmente um conceito do tradutor para um artesão. Qualquer pessoa associada com a Maçonaria moderna reconhecerá o termo “o Artesão” e não tem nada a ver com trabalhos em madeira.

O texto simplesmente indicava que José era um homem magistral, erudito e sábio.

Outro exemplo é o conceito do Nascimento Virginal. Os Evangelhos de língua inglesa nos dizem que a mãe de Jesus, Maria, era uma “virgem” e, como entendemos a palavra, denota uma mulher sem experiência de união sexual.

Mas isso foi traduzido inicialmente não do grego, mas do latim, que se referia a Ela como sendo uma virgem, significando nada mais do que uma “jovem mulher”. Para significar a mesma coisa que “virgem” hoje, no latim teria sido “virgem intacta” – isto é, uma “jovem mulher intacta”.

Olhando para trás além do texto latino descobrimos que a palavra traduzida para virgem (uma jovem mulher) era a velha palavra semítica almah que significava o mesmo: uma “jovem”, e não tinha qualquer conotação sexual. Se Maria realmente tivesse sido fisicamente virgem intacta, a palavra semítica usada teria sido bethulah, não almah.

Então, estamos completamente equivocados com os Evangelhos?
Não; nós fomos equivocados pelas traduções inglesas dos Evangelhos.

Também por uma determinação da Igreja que tem feito tudo em seu poder para negar às mulheres qualquer estilo de vida normal na história do Evangelho.

Assim, as mulheres-chave do Novo Testamento são retratadas como virgens, prostitutas e às vezes viúvas – mas nunca namoradas, esposas ou mães todos os dias, e certamente nunca Sacerdotisas ou Irmãs Santas.

Não obstante o dogma do nascimento virginal, os evangelhos nos dizem uma e outra vez que Jesus era descendente do rei David por seu pai Josè. Mesmo São Paulo explica isso em sua Epístola aos Hebreus.

Mas os cristãos são ensinados que o pai de Jesus era um humilde carpinteiro, enquanto sua mãe era virgem – o que não pode ser encontrado em qualquer texto original.

Segue-se, portanto, que, para tirar o melhor dos Evangelhos, temos de ler como foram escritos, não como foram interpretados de acordo com a doutrina da Igreja e a linguagem moderna.

Precisamente quando os quatro Evangelhos principais foram escritos é incerto. O que sabemos é que eles foram publicados pela primeira vez em vários estágios na segunda metade do primeiro século. Eles foram unânimes inicialmente em revelar que Jesus era um Nazareno.

Isso é confirmado nos anais romanos. Além disso, as crônicas judaicas do século I, juntamente com os Atos dos Apóstolos da Bíblia, confirma que tanto o irmão de Jesus, Tiago, como São Paulo, eram líderes da seita dos nazarenos.

Esta definição nazarena é muito importante para a história do Graal, porque muitas vezes foi mal interpretada para sugerir que Jesus veio da cidade de Nazaré.

Nos últimos 400 anos, os Evangelhos de língua inglesa perpetuaram o erro ao traduzir erroneamente “Jesus o Nazareno” como “Jesus de Nazaré”, embora não existisse uma conexão histórica entre Nazaré e os nazarenos.

De fato, o assentamento em Nazaré foi estabelecido na década de 60, trinta anos depois da crucificação. Ninguém nos primeiros anos de vida de Jesus veio de Nazaré – não estavam lá! Os nazarenos eram uma seita liberal judaica, contrária ao estrito regime hebraico dos fariseus e saduceus.

A cultura e a língua nazarenas foram fortemente influenciadas pelos filósofos da Grécia antiga e sua comunidade apoiou o conceito de igualdade de oportunidades para homens e mulheres. Documentos da época não se referiam a Nazaré, mas à comunidade nazarena, onde as sacerdotisas coexistiam em igualdade de condições com os sacerdotes.

É preciso lembrar, portanto, que Jesus não era um cristão: ele era um nazareno – um judeu radical e ocidentalizado. O movimento cristão foi fundado por outros na sequência da sua própria missão, com a palavra “cristão” gravada pela primeira vez em 44 dC em Antioquia, Síria.

No mundo árabe, a palavra usada para descrever Jesus e seus seguidores é nazara. Isto é confirmado no Corão islâmico e a palavra significa “guardiões” ou “guardiões”. A definição completa é Nazara ha-Brit: ‘GUARDIÕES DA ALIANÇA’.

No tempo de Jesus, os nazarenos viveram na Galiléia e naquele reino místico que a Bíblia chama de “deserto”, que era na verdade um lugar muito definido. Era essencialmente a terra em torno do estabelecimento principal em Qumrân, que espalhou para fora de Mird e em outros lugares perto do mar. Foi em Qumrân que os Pergaminhos do Mar Morto foram descobertos em 1948.

Algum tempo depois da crucificação, Pedro e seu amigo Paulo foram para Antioquia, e depois para Roma, começando o movimento que se tornou o cristianismo.

Mas Jesus, juntamente com seu irmão Tiago e a maioria dos apóstolos, continuaram os ensinamentos nazarenos, progredindo-os para a Europa, onde foram associados com a IGREJA CELTA. Esta Igreja foi formalmente implementada como a igreja de Jesus em 37 dC, enquanto a Igreja Romana foi formada 300 anos depois.

Através de muitos séculos, a Igreja Celta, com sua cultura nazarena, era diretamente oposta à Igreja de Roma – a principal diferença era que A FÉ CELTA ERA BASEADA NOS ENSINAMENTOS, CÓDIGOS E PRÁTICAS DO PRÓPRIO JESUS.

O cristianismo romano, por outro lado, transformou Jesus no objeto de sua veneração religiosa, deixando seus ensinamentos para criar uma fé “híbrida” imperial para o benefício dos imperadores e papas. Ela existe, de fato, não como cristianismo, mas como “igrejismo”.

Além de mal-entendidos, interpretações errôneas e traduções equivocadas, os Evangelhos canônicos sofrem de inúmeras modificações intencionais.

Algumas entradas originais foram alteradas ou excluídas, enquanto outras entradas foram adicionadas para atender aos interesses da Igreja. A maioria dessas edições e emendas foram feitas no século IV, quando os textos foram traduzidos para o latim de suas línguas originais grega e semítica.

Ainda mais cedo, aproximadamente em 195 dC, Dom Clemente de Alexandria fez a primeira alteração conhecida nos textos evangélicos. Ele apagou uma seção substancial do Evangelho de Marcos (escrito mais de cem anos antes dessa época) e justificou sua ação em uma carta, dizendo: “Pois mesmo se eles disserem alguma coisa verdadeira, quem ama a verdade não deveria concordar com ela, porque nem todas as coisas verdadeiras devem ser ditas a todos os homens.”

O que ele quis dizer é que, mesmo naquela fase inicial, já havia uma discrepância entre o que os escritores do Evangelho tinham escrito e o que os bispos queriam ensinar.

Hoje, esta seção apagada por São Clemente ainda está ausente do Evangelho de Marcos. Mas quando Marcos é comparado com o Evangelho que conhecemos hoje, descobrimos que o Evangelho de hoje é muito mais longo do que o original, tendo feito adições espúrias/apócrifas.

A RESSURREIÇÃO

Uma destas seções adicionais compreende toda a sequência da Ressurreição – totalizando doze versos completos no final de Marcos, capítulo 16. Agora se sabe que tudo aqui contado sobre os eventos após a Crucificação foi adicionado pelos escribas da Igreja em algum momento no final Século IV.

Mas o que exatamente estava nesta seção de Marcos que Clemente achou conveniente remover?

Era o item que tratava de Lázaro. No contexto do texto original de Marcos, Lázaro foi retratado num estado de excomunhão: morte espiritual por decreto, não em estado de morte física.

O relato ainda tinha Lázaro e Jesus chamando um ao outro antes do túmulo ser aberto. Isso, naturalmente, derrotou o desejo dos bispos de retratar a ressurreição de Lázaro como um “milagre” espiritual, não como uma libertação direta da excomunhão.

Mais importante ainda, estabeleceu o cenário para a história da crucificação do próprio Jesus, cuja criação subsequente da morte espiritual foi determinada pela mesma regra de três dias que se aplicava a Lázaro.

Jesus foi ressuscitado da morte por decreto no terceiro dia legal, mas, no caso de Lázaro, Jesus burlou as regras ressuscitando seu amigo após o período de três dias de doença simbólica.

Nesse ponto, a morte civil teria se tornado absoluta aos olhos dos anciãos legais do Conselho do Sinédrio, e Lázaro teria sido envolto num saco e enterrado vivo.

Seu crime foi de que ele tinha levado a uma violenta revolta popular para salvaguardar o suprimento público de água que tinha sido desviado através de um novo aqueduto romano em Jerusalém.

O que fez Lázaro ressuscitar foi que Jesus executou a libertação, enquanto não possuía nenhum direito sacerdotal para fazê-lo – posteriormente Herodes-Antipas da Galileia obrigou o Sumo Sacerdote de Jerusalém reconhecer o evento sem precedentes.

Havia, no entanto, um pouco mais para a parte removida de Marcos, porque, ao contar a história de Lázaro, o relato deixou perfeitamente claro que Jesus e Maria Madalena eram homem e mulher.

A história de Lázaro agora aparece apenas no Evangelho de João, mas contém uma sequência estranha que tem Marta vindo da casa de Lázaro para cumprimentar Jesus, enquanto sua irmã, Maria Madalena, permanece dentro até ser convocada por Jesus.

Em contraste com isso, o relato original de Marcos relatou que Maria saiu da casa com Marta, mas foi então castigada pelos discípulos e enviada de volta para casa para esperar a instrução de Jesus.

Esta era uma exigência específica da lei judaica, segundo a qual uma esposa em ritual de luto não era permitida sair da propriedade até que instruída por seu marido.

Há muita informação fora da Bíblia para confirmar que Jesus e Maria Madalena foram casados.

Mas há alguma coisa relevante nos Evangelhos de hoje – algo que talvez os editores tenham perdido? Na verdade, existe.

Há sete listas dadas nos Evangelhos das mulheres que eram companheiras regulares de Jesus. Estas listas incluem a sua mãe, mas em seis destas sete listas o primeiro nome dado (mesmo à frente da mãe de Jesus) é o de Maria Madalena, deixando claro que ela era, de fato, a Primeira Dama: a Rainha Messiânica.

Mas o casamento está detalhado nos Evangelhos?
Na verdade, está.

Muitos sugeriram que o casamento em Canaã foi o casamento de Jesus e Maria Madalena – mas esta foi simplesmente a festa de noivado pré-matrimonial.

O casamento é definido pelas unções completamente separadas de Jesus por Maria, em Betânia. Cronologicamente, essas unções (como dadas nos Evangelhos) estavam separadas por dois anos e meio.

Os leitores do século I teriam sido plenamente familiarizados com o ritual de duas partes do casamento sagrado de um Herdeiro Dinástico. Jesus, como sabemos, era um Messias, o que significa simplesmente um “Ungido”.

De fato, todos os sacerdotes anciãos ungidos e reis davídicos eram Messias; Jesus não era único.
Embora não seja um sacerdote ordenado, ele ganhou seu direito ao estatuto de Messias por meio da descendência do rei David e da linhagem real, mas ele não alcançou esse status até que foi ritualmente ungido por Maria Madalena, em sua mestria como sacerdotisa nupcial.

A palavra “Messias” vem do verbo hebraico mashiach: “ungir”, que deriva do messeh egípcio: “o santo crocodilo”. Foi com a gordura do messeh que as noivas da irmã do Faraó ungiram seus maridos no casamento, e o costume egípcio brotou da prática do rei na antiga Mesopotâmia.

Na Canção dos Salomões do Antigo Testamento, aprendemos sobre a unção nupcial do rei. É detalhado o ritual em que o óleo usado em Judah era o unguento perfumado do nardo indiano (um caro óleo da raiz dos Himalaias).

\No Novo Testamento, a unção de Jesus por Maria Madalena foi realmente realizada enquanto ele estava sentado à mesa, e especificamente com o unguento nupcial do nardo indiano.

Depois, Maria enxugou os pés de Jesus com os cabelos e, na primeira ocasião da cerimônia de duas partes, ela chorou. Todas estas coisas significam a unção marital de um herdeiro dinástico.

Outras unções dos Messias (seja na coroação ou admissão no sacerdócio sênior) sempre foram conduzidas por homens: pelo Alto Zadoque ou o Sumo Sacerdote. O óleo utilizado era azeite, misturado com canela e outras especiarias, porém nunca o nardo indiano.

Este óleo era a prerrogativa expressa de uma noiva messiânica que devia ser uma “Maria” – uma irmã de uma ordem sagrada. A mãe de Jesus era uma Maria; assim também sua esposa teria sido uma Maria, pelo título, se não pelo nome batismal. Algumas ordens conventuais ainda mantêm a tradição, acrescentando o título “Maria” aos nomes batismais de suas freiras.

Casamentos messiânicos sempre foram conduzidos em duas etapas. O primeiro (a unção em Lucas) foi o compromisso legal para o casamento, enquanto o segundo (a unção posterior em Mateus, Marcos e João) foi a homologação do contrato.

No caso de Jesus e Maria, a segunda unção era de particular significado para, como explicado por Flávio Josefo nas Antiguidades do século I dos judeus, a segunda parte da cerimônia de casamento nunca foi conduzida até que a esposa estivesse grávida de três meses.

Os herdeiros dinásticos como Jesus eram expressamente obrigados a perpetuar suas linhagens. O casamento era essencial, mas o direito comunitário protegeu as dinastias contra o casamento com mulheres que se mostraram estéreis. Esta proteção foi fornecida pela regra da gravidez de três meses. Os abortos espontâneos não aconteciam frequentemente após esse prazo.

Quando ungiu seu marido naquele estágio, à noiva messiânica foi dito para ungi-lo para o enterro, como confirmado nos Evangelhos. Por isso, a partir daquele dia, ela levaria um frasco de nardo em volta do pescoço, durante a vida de seu marido, para ser usado novamente em seu sepultamento.

Foi com este propósito que Maria Madalena teria ido para o túmulo de Jesus, como fez no sábado após a crucificação.

Depois da segunda unção de Betânia, os Evangelhos relatam que Jesus disse: “Onde quer que este Evangelho seja pregado por todo o mundo, também será feito por memória dela (Maria Madalena)”.

Mas as autoridades da Igreja Cristã honraram Maria Madalena e falaram desse ato como um memorial? Não, elas não; ignoraram completamente a diretriz de Jesus e denunciaram Maria como uma prostituta.

CONTINUA…

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Lawrence Gardner, Karenlyster.com
http://www.karenlyster.com/body_bookish1.html
Tradução Vilma Capuano – vilmacapuano@yahoo.com.br
Grata Vilma!

LINHAGEM DO SANTO GRAAL – Parte II

LINHAGEM DO SANTO GRAAL
A LINHAGEM OCULTA DE JESUS REVELADA
Parte II
Por Lawrence Gardner

Parte I aqui

“Os relatos referem-se à estada israelita no Egito e contam seu êxodo … explicam que não foi Moisés, mas Miriam quem foi a líder espiritual das tribos que atravessaram o Mar Vermelho para o Monte Sinai.”

Na sua primeira Epístola a Timóteo, S. Paulo tinha dito que um bispo deveria estar casado e que ele deveria ter filhos, pois um homem com experiência da sua própria família está muito melhor qualificado para cuidar da Igreja.

Mas, embora as autoridades da Igreja romana alegassem defender o ensino de São Paulo em particular, optaram por desconsiderar completamente essa diretriz explícita para se adequarem aos seus próprios fins, de modo que o estado civil de Jesus pudesse ser estrategicamente ignorado.

Não obstante o celibato da Igreja, a imagem solteira de Jesus estava em desacordo com outros escritos da época do Evangelho e foi abertamente impugnada para o domínio público, e a perpetuação da verdade foi proclamada como uma heresia punível (há apenas 450 anos) – Conselho italiano de Trento em 1547 – o ano que Henry VIII Tudor morreu na Inglaterra.

É, no entanto, não apenas o Novo Testamento cristão que sofre com essas restrições sexistas. Um processo de edição similar foi aplicado ao Antigo Testamento hebraico, tornando-o convenientemente adequado para ser adicionado à Bíblia cristã.

Isto é feito aparentemente por um par de entradas que ignoraram o escrutínio dos editores.

Os livros de Josué e 2-Samuel referem-se ambos à importância do livro mais antigo de Jasher. Mas onde está este livro? Como tantos outros de igual importância, não pode ser encontrado na Bíblia!
O livro de Jasher ainda existe? Certamente que sim.

O pergaminho hebraico, de quase 2 metros, era uma joia da Corte do Imperador Carlos Magno e a tradução do livro de Jasher foi a razão pela qual a Universidade de Paris foi fundada no ano 800 – mais de um século antes da agora familiar versão dO Antigo Testamento fosse compilada.

Jasher/Josué era o mensageiro pessoal de Moisés, e os escritos atribuídos a ele são de enorme significado. Os relatos referem-se à estada israelita no Egito e contam seu êxodo em Canaã.

Mas diferem consideravelmente da versão da história que conhecemos hoje. Eles explicam que não foi Moisés, mas Miriam quem foi a líder espiritual das tribos que atravessaram o Mar Vermelho para o Monte Sinai.

Naquela época, os judeus nunca tinham ouvido falar de Jeová; eles adoravam a deusa Asherah e seus líderes espirituais eram em grande parte do sexo feminino.

De fato, Miriam colocou tal problema para Moisés na tentativa de criar um novo ambiente na dominação masculina que ele a aprisionou, e os israelitas se levantaram contra Moisés para garantir a libertação de Miriam. Isto está no livro de Jasher, mas não está na Bíblia.

Evangelhos

Vamos agora para onde a história cristã começou – para os próprios Evangelhos. E, ao fazer isso, vamos primeiro considerar o que os Evangelhos realmente nos dizem, contra o que talvez pensemos o que eles nos dizem.

Todos aprendemos o que nos ensinam sobre os Evangelhos nas salas de aula e nas igrejas.
Mas o ensino está corretamente relacionado? É sempre conforme as escrituras escritas?

Na verdade, é bastante surpreendente o quanto aprendemos com os púlpitos ou livros ilustrados sem verificar o texto bíblico.

A própria Natividade é um bom exemplo.

É amplamente aceito que Jesus nasceu num estábulo – mas os Evangelhos não dizem isso. Na verdade, não existe nenhum “estábulo” mencionado em nenhum Evangelho autorizado.

A Natividade não é mencionada em Marcos ou João, e Mateus mostra claramente que Jesus nasceu “numa casa”.

Então, de onde veio a ideia do estábulo?

Ela veio de uma interpretação errônea do Evangelho de Lucas que relata que Jesus foi “posto em uma manjedoura” (não “nascido”, como muitas vezes mal citado, mas “posto”) e uma manjedoura era, e ainda é, nada mais do que uma caixa de alimentação para animal.

Na prática, era perfeitamente comum que as caixas fossem usadas como berços de emergência e, muitas vezes, eram trazidas para dentro para esse propósito.

Então, por que tem sido presumido que esta manjedoura em particular estava em um estábulo?

Porque as traduções inglesas de Lucas nos dizem que não havia “espaço na estalagem”.
Porém, o velho manuscrito de Lucas não disse isso.

Na verdade, não havia pousadas na região – os viajantes alojados em casas particulares e hospitalidade familiar era uma forma normal de vida naqueles dias.

De fato, se realmente precisamos ser precisos, também não havia estábulos na região.

‘Stable’ é uma palavra inglesa que define especificamente um lugar para manter cavalos. Mas poucos, exceto alguns oficiais romanos, usaram cavalos na Judeia do século I – eles usavam principalmente mulas e bois que, se mantidos sob cobertura, teriam estado em algum tipo de dependência – certamente não estábulo.

Quanto à pousada mítica, o texto grego original de Lucas não diz que não havia “espaço na estalagem”. Com a melhor tradução, ele realmente afirma que não havia “provisão na sala” (isto é, “no topos kataluma”).

Como mencionado, Mateus declara que Jesus nasceu em uma casa e, quando corretamente traduzido, Lucas revela que Jesus foi colocado numa manjedoura – enquanto não há berço fornecido no quarto.

Assim como no assunto do nascimento de Jesus, nós devemos olhar a cronologia, porque os dois Evangelhos que tratam da Natividade realmente dão datas diferentes para o evento.

De acordo com Mateus, Jesus nasceu no reinado de Herodes o Grande, que debatia o evento com os Magos e, aparentemente, ordenou o assassinato dos bebês.

Herodes morreu no ano 4 aC – assim sabemos por Mateus que Jesus nasceu antes disso. De fato, por causa disto, a maioria das Bíblias, de concordância padrão, dão 5 aC como a data de nascimento de Jesus.

Em Lucas, no entanto, uma data completamente diferente é dada. Este Evangelho afirma que Jesus nasceu enquanto Cyrenius era governador da Síria – o mesmo ano em que o imperador Augusto implementou o censo nacional de impostos que levou José e Maria a ir a Belém.

Há dois pontos relevantes a mencionar aqui, os quais estão registrados nos anais judaicos do século I (como As Antiguidades dos Judeus) .Crieno não foi nomeado Governador da Síria até 6 dC, e este foi o próprio ano em que o imperador Augusto implementou o censo, que foi supervisionado pelo próprio Cyrenius.

Ter nascido em duas ocasiões distintas: “antes de 4 AC” e novamente “em AD 6”.
Há um erro em um dos evangelhos?

Não necessariamente – pelo menos não da maneira como as coisas foram originalmente retratadas. Na verdade, estamos olhando para dois nascimentos bastante específicos: o nascimento “físico” de Jesus e seu nascimento “comunitário”.

Estes foram definidos como o “primeiro” e “segundo” nascimentos – o segundo é uma iniciação na sociedade por meio de uma cerimônia ritual de renascimento.

O segundo nascimento para os meninos teve lugar aos doze anos (uma cerimônia em que eles eram novamente ritualisticamente nascidos do ventre de sua mãe).

Infelizmente, os tradutores e transcritores do Evangelho dos últimos dias perderam completamente o significado disso, enquanto que os ensinamentos subsequentes da Igreja combinaram os relatos de Mateus e Lucas em um, dando origem ao absurdo apócrifo sobre uma cena da natividade em um estábulo.

A partir do registro de que Jesus tinha doze anos no ano 6 dC (como dito em Lucas), então ele nasceu em 7 aC, que foi realmente durante o reinado tardio de Herodes, o Grande, como relatado em Mateus.
Mas agora descobrimos o que parece ser outra anomalia.

O Evangelho de Lucas diz que quando Jesus tinha doze anos de idade, seus pais, Maria e José, o levaram para Jerusalém – e caminharam para casa numa jornada de um dia inteiro com seus amigos, antes de perceberem que Jesus não estava em sua festa. Então voltaram para Jerusalém para encontrá-lo no templo, discutindo os negócios de seu pai com os curadores.

Na realidade, que tipo de pais vagariam por um dia inteiro no deserto, sem saber que seu filho de doze anos não estava com eles?

O fato é que o ponto inteiro da passagem foi perdido na tradução, porque havia uma riqueza na diferença entre um filho de doze anos e um filho em seu décimo segundo ano.

Quando um filho, ao completar seus doze anos (isto é, ao completar seu décimo terceiro aniversário) foi iniciado na comunidade na cerimônia de seu segundo nascimento, era considerado como iniciando seu primeiro ano.

Era a raiz original do Bar Mitzvah moderno. Sua próxima iniciação – a iniciação da masculinidade na comunidade – ocorreu em seu nono ano, quando tinha vinte e um anos (a raiz do privilégio dos vinte e um anos). Seguiram-se vários “graus” e o próximo grande teste foi no final de seu décimo segundo ano: aos vinte e quatro anos de idade.

É, portanto, aparente que quando Jesus permaneceu no templo em seu décimo segundo ano, ele tinha na verdade vinte e quatro anos de idade – não doze. Quanto à sua discussão com os curadores, isso seria relacionado com seu próximo grau – o grau definido por seu pai espiritual, cujo negócio ele discutiu.

Naquela época, seu pai espiritual (o patriarca em geral) era Simeão, o Essênio – e vemos, em Lucas, que foi precisamente esse homem (o “justo e devoto Simeão”) que legitimava Jesus sob a lei.

Então, podemos confiar nos Evangelhos?

A resposta a esta pergunta é “sim”, podemos confiar neles até certo ponto, mas não podemos confiar nas versões complicadas e distorcidas que são publicadas e apresentadas hoje.

Depois dos escritos apostólicos originais, os Evangelhos da Igreja primitiva foram escritos em grego característico dos séculos II e III.

Junto com a Bíblia como um todo, eles foram traduzidos para o latim da Igreja no século IV, mas foi mais de mil anos antes de qualquer tradução Inglesa ser feita.

Os Evangelhos de língua inglesa atuais remontam à Bíblia Autorizada compilada para o rei James Stuart VI da Escocia (James I da Inglaterra) no início do século XVII.

Isto foi publicado e posto em circulação não mais de 165 anos antes da Declaração de Independência dos Estados Unidos – apenas alguns anos antes que os primeiros Padres Peregrinos partiram da Inglaterra.

A tradução da Bíblia era, no entanto, um negócio arriscado naqueles dias. Por se atrever a traduzir a Bíblia para o inglês, o reformador do século XIV, John Wycliffe, foi denunciado como um herege e seus livros foram queimados.

No início do século 16 William Tyndale foi executado por estrangulamento na Bélgica, e depois queimado, por traduzir a Bíblia em Inglês.

Um pouco mais tarde, Miles Coverdale (um discípulo de Tyndale) fez outra tradução, mas, nessa fase, a Igreja havia se dividido em duas facções principais. Como resultado, a versão de Coverdale foi aceita pela Igreja Protestante, embora ele permaneceu como um herege aos olhos de Roma.

O problema era que, enquanto o texto impresso permanecesse numa forma obscura de latim, da Igreja, só os bispos podiam entender ou interpretar, e ensinar o que quisessem.

Mas se fosse traduzido em linguagens populares que as pessoas pudessem ler por si mesmas, os ensinamentos da Igreja seriam, sem dúvida, questionáveis.

É a Bíblia traduzida para o Rei James sobre a qual a maioria das edições subsequentes em inglês foram baseadas.

Mas, na prática, esta versão autorizada do século XVII não era uma tradução direta; era principalmente traduzida do grego, em parte do latim e, em certa medida, das obras de outros que haviam feito traduções ilegítimas anteriormente.

Em sua interpretação do Novo Testamento, os linguistas do rei James tentaram apaziguar tanto os protestantes quanto os católicos. Esta era a única maneira de produzir um texto geralmente aceitável, mas sua ambição não foi inteiramente bem sucedida.

Os católicos pensavam que os tradutores estavam se juntando aos protestantes e tentaram explodir o rei James nas casas do Parlamento (o famoso Pólvora), enquanto os protestantes sustentavam que o rei estava aliado aos católicos!

As traduções não se preocupavam apenas com o apaziguamento das denominações; elas também tentaram algo que hoje chamaríamos de “politicamente correto”.

Em um caso, a tradução direta se referia a um grupo de pessoas chamadas “soldados celestiais”, mas isso foi oprimido e “exército celestial” foi inserido. Foi suprimido novamente (uma vez que o conceito de uma unidade armada não era aceitável) para ser substituído por “hoste celestial”.

O problema era que ninguém sabia exatamente o que era uma “hoste”; a palavra tinha sido ressuscitada após séculos de obscuridade para entrar nos dicionários da época com a vaga descrição: “muita gente”.

Na verdade, é bastante surpreendente quantas palavras ambíguas foram trazidas de volta ao uso para facilitar a correção política para a Bíblia do Rei James, enquanto, ao mesmo tempo, William Shakespeare estava fazendo o mesmo em suas peças.

Na verdade, o vocabulário de língua inglesa foi aumentado em mais de cinquenta por cento como resultado de palavras inventadas ou trazidas de volta da névoa do tempo pelos escritores do período.

Assim, embora eminentemente poética, a linguagem da Bíblia Inglesa Autorizada é bastante diferente daquela que já foi dita por qualquer pessoa na Inglaterra ou em qualquer outro lugar, mas, a partir dessa interpretação canônica aprovada, todas as outras Bíblias de língua inglesa surgiram em suas várias formas.

Entretanto, para todas suas falhas e seu teste padrão lindamente projetado do verso, permanece o mais próximo de todas as traduções dos manuscritos gregos originais.

Todas as outras versões anglicizadas (Standard, New English, Revised, Modern, Good News, etc.) foram significativamente corrompidas e são bastante inadequadas para um estudo sério porque cada uma tem sua própria agenda específica.

Uma versão extrema de como isso funciona na prática é encontrada em uma Bíblia atualmente publicada em Papua, no Pacífico da Nova Guiné, onde existem tribos que experimentam familiaridade com nenhum outro animal: somente o porco.

Na edição atual de sua Bíblia, cada animal mencionado no texto, seja originalmente um boi, leão, burro, ovelha ou qualquer outra coisa, é agora um porco. Até mesmo Jesus, o tradicional “cordeiro de Deus”, nesta Bíblia é “o porco de Deus”!

Para facilitar a melhor confiança possível nos Evangelhos, devemos voltar aos manuscritos gregos originais com suas palavras e frases usadas frequentemente em hebraico e aramaico.

A este respeito, descobrimos que (tal como acontece com a história da Natividade) uma boa parte do conteúdo relevante tem sido deturpada, mal interpretada, mal traduzida ou simplesmente perdida no relato.

Às vezes isso aconteceu porque as palavras originais não têm contrapartida direta em outras línguas.

CONTINUA…

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Por Lawrence Gardner, Karenlyster.com
http://www.karenlyster.com/body_bookish1.html
Tradução Vilma Capuano – vilmacapuano@yahoo.com.br
Grata Vilma!

LINHAGEM DO SANTO GRAAL – I

LINHAGEM DO SANTO GRAAL
A LINHAGEM OCULTA DE JESUS REVELADA
Parte I
Por Lawrence Gardner

“O Código do Graal é a chave essencial para o governo democrático.”

No curso de nossa jornada, vamos discutir muitos itens que são completamente familiares, mas vamos olhar para eles de uma perspectiva diferente da que normalmente foi transmitida… parece que estamos muitas vezes pisando totalmente no novo, mas, de fato, é apenas o terreno que existia antes de ser acarpetado e oculto por aqueles investidos com interesses de outra espécie.

Hoje vamos embarcar na busca do Santo Graal.


Alguns chamaram-na de Procura Final, mas a Igreja Cristã condenou-a como uma heresia.

Uma heresia cristã é descrita como “uma opinião que é contrária ao dogma ortodoxo dos bispos cristãos” e, nesse sentido, as outras questões que compõem grande parte da pesquisa científica e médica de hoje são igualmente heréticas.

A palavra “heresia” é, em essência, nada mais do que um rótulo derrogatório – um rótulo usado por um estabelecimento da Igreja temeroso que há muito tempo procurou manter o controle da sociedade por medo do desconhecido.

Uma heresia pode, portanto, definir os aspectos da filosofia e da pesquisa que buscam os reinos do desconhecido e que, de tempos em tempos, fornecem respostas e soluções que são bastante contrárias à doutrina da Igreja.

Em termos cristãos, a maior parte da população mundial é herética, porque a Igreja Cristã (que define suas próprias heresias) representa pouco mais de um quarto dessa população. Quanto aos restantes três quartos – os judeus, muçulmanos, budistas, hindus e outros – são, por definição, hereges e infiéis.

Há apenas 365 anos, o cientista italiano Galileu anunciou que a Terra estava em movimento ao redor do Sol (uma descoberta do astrônomo polonês Copérnico) e, para isso, a Igreja o proclamou um herege. Como resultado, Galileu foi levado antes da Inquisição Católica e mantido sob prisão domiciliar por dez anos até que ele morreu.

Logo depois, Isaac Newton perseguiu o conceito de força orbital, mas ele também foi condenado e não foi até recentemente, em 1992, que a Igreja finalmente admitiu que a Terra estava em órbita solar.

Na verdade, foi até o verão de 1996 que a noção de inferno foi abolida pelo Sínodo Geral da Igreja Anglicana, e foi essa própria noção que causou tais problemas para Galileu, Newton e outros.

A Igreja Católica, por outro lado, mantém a noção do Inferno – e assim, aos olhos de Roma, os protestantes anglicanos agora se tornaram hereges a este respeito.

Historicamente, no que diz respeito à Igreja Cristã, a Terra era plana e no centro do Universo.
O Céu estava acima da Terra e o Inferno estava abaixo.

Consequentemente, a Terra tinha que estar imóvel e não poderia estar em movimento orbital, a menos que o Céu e o Inferno se movessem também – o que foi sustentado, e não acontecia.

1996 foi também o ano em que o Papa João Paulo II formalmente reconheceu a Teoria da Evolução de Charles Darwin – proclamando-a “bastante compatível” com a fé cristã. Mas, até agora, todos os cientistas e estudiosos que sustentavam os princípios da evolução foram classificados como hereges.

Além disso, o Vaticano criou um Conselho de Milagres, formado por cientistas, médicos e teólogos. Seu resumo é direto: investigar milagres antigos e modernos para determinar o que funciona e o que não se enquadra na categoria.

Se um raciocínio plausível e aceitável pode ser encontrado para um dito milagre, então ele é retirado da lista de milagres. Se não for esse o caso, o relatório permanece na lista enquanto não for apresentada uma explicação lógica pelo Conselho.

E assim, uma por uma, as heresias de ontem (para as quais tantos foram perseguidos e executados) estão sendo aceitas pelos membros mais racionais da Igreja. Mas há, no entanto, um elemento significativo que prefere manter o velho dogma – criando um cisma moderno na estrutura da própria Igreja.

À medida que os anos progridem, é evidente que a descoberta científica e médica devem derrubar grande parte do dogma religioso medieval que persistiu até os tempos modernos. E, a este respeito, algumas heresias já estão sendo consideradas por uma Igreja que tem pouca opção de fazer outra coisa.

Mas há também outras formas de heresia: heresias com uma base essencialmente espiritual – as heresias que podem ser chamadas pagãs ou ocultistas e aquelas que formam as próprias raízes de outras religiões além do cristianismo.

Depois, há as heresias históricas: aquelas que não se enquadram imediatamente nos domínios da ciência, da medicina ou da filosofia, mas cujos ensaios e questionamentos recaem sobretudo nos historiadores, linguistas e teólogos.

É nesta categoria particular que encontramos a Busca do Cálice Sagrado e, ao prosseguir a Busca, torna-se cada vez mais evidente por que a Igreja declarou tradicionalmente o Graal como sendo uma heresia quando a sociedade em geral percebe o Graal como uma relíquia completamente cristã.

As missões são, pela sua própria natureza, intrigantes e históricas na investigação, esclarecedoras, mas as descobertas de nenhuma delas são de qualquer utilidade a menos que haja aplicações atuais que, assim como a ciência e a medicina, possam semear as sementes de um futuro melhor.

A história não é mais do que a experiência registrada – geralmente a experiência de seus vencedores – e é de bom senso aprender com a experiência de ontem.

Na verdade, é a própria experiência que detém as chaves morais, culturais, políticas e sociais do amanhã – e é nesse contexto que o Santo Graal suporta seu próprio Código Messiânico.

Este é o Código de prática social instituído por Jesus quando lavou os pés de seus apóstolos na Última Ceia. Ela se refere às obrigações de dar e receber “serviço”.

Ela determina que aqueles eleitos em posições de autoridade e influência devem estar sempre conscientes de seus deveres como “representantes” da sociedade, obrigados a servir a sociedade, não presumir autoridade sobre a sociedade.

O Código do Graal é a chave essencial para o governo democrático. Isso é definido como o governo pelas pessoas para o povo. Sem a implementação do Código, nós experimentamos o governo demasiado distante do povo. Este não é um governo democrático.

No curso de nossa jornada, vamos discutir muitos itens que são completamente familiares, mas vamos olhar para eles de uma perspectiva diferente da que normalmente foi transmitida. A este respeito, parece que estamos muitas vezes pisando totalmente no novo, mas, de fato, é apenas o terreno que existia antes de ser acarpetado e oculto por aqueles investidos com interesses de outra espécie.

Somente revolvendo este tapete de dissimulação intencional podemos ter êxito em nossa busca pelo Santo Graal.

Nossa busca começará na Terra Santa da Judéia no tempo de Jesus, e passaremos um bom tempo lá para estabelecer a cena resultante. Nós então progrediremos através de 2000 anos de história até os dias atuais – viajando através da Idade Média passando algum tempo na Europa medieval.

O mistério do Graal continuará na Grã-Bretanha do Rei Arthur e, eventualmente, até nos Estados Unidos, onde americanos como George Washington, John Adams, Benjamin Franklin, Charles Thompson e Thomas Jefferson foram os campeões do Santo Graal como foram o Rei Arthur, Sir Lancelot e Galahad.

O Santo Graal foi descrito como O Livro da Descida Messiânica e carrega o subtítulo A Linhagem Oculta de Jesus Revelada. Isso, claro, indica que Jesus teve filhos e, por implicação, portanto, que ele estava casado. Então ele era casado? Ele tinha filhos? Se assim for, nós sabemos o que aconteceu com eles? Seus descendentes estão vivos hoje?  A resposta a cada uma dessas perguntas é “sim”.

Vamos olhar para a família resultante com algum detalhe, seguindo sua história, século a século – a história de uma dinastia real resoluta: os descendentes herdeiros de Jesus, que lutaram contra todos nas probabilidades de preservar a iniciativa messiânica do Santo Graal.

Nossa história é uma de conspiração; de coroas usurpadas, perseguições, assassinatos e ocultamento injustificado de informações do povo do mundo cristão. É um relato do bom governo e do mau governo; sobre como a realeza patriarcal dos povos foi suplantada pela tirania dogmática e o senhorio ditatorial das terras.

É uma viagem de descoberta atraente: uma visão de eras passadas, mas com seus olhos firmemente fixados no futuro. Esta é a história como foi escrito uma vez, mas nunca foi dita.

Vamos começar com a mais óbvia de todas as perguntas: O que é o Santo Graal? Como o Santo Graal está ligado com os descendentes herdeiros de Jesus? O fato de que Jesus tinha descendentes pode vir como uma surpresa para alguns, mas foi amplamente conhecido na Grã-Bretanha e Europa até o final da Idade Média.

Na época medieval, a linha de Descendência Messiânica foi definida pela palavra francesa Sangréal – derivada das duas palavras Sang Réal, que significa “Sangue Real”. Este era o Sangue Real de Judá: a linhagem real de Davi que progrediu através de Jesus e seus herdeiros.

Em tradução inglesa, a definição Sangréal tornou-se ‘San Graal’ (como San Francisco). Quando escrito mais plenamente, era “Santo Graal” – a palavra “santo”, é claro, relativo ao “santo”. Então, por um processo linguístico natural, veio o termo mais familiar, ‘Santo Graal’.

Da Idade Média havia uma série de ordens cavalheirescas e militares especificamente ligadas a Realeza Messiânica na Grã-Bretanha e na Europa. Incluíram a Ordem do Reino de Sion e a Ordem do Sepulcro Sagrado.

Mas a mais prestigiosa de todos foi a Ordem Soberana do Sangréal – os Cavaleiros do Santo Graal. Esta era uma ordem dinástica da Casa Real da Escócia de Stewart.

*** A Videira Sagrada e o Sangue Perpétuo de Jesus ***

Em termos simbólicos, o Graal é frequentemente retratado como um cálice que contém o sangue de Jesus; alternativamente como uma videira de uvas.

* O produto da uva é o vinho, e é o cálice e o vinho da tradição do Graal que se assentam no próprio coração da Sagrada Comunhão (a Eucaristia). Neste sacramento, o Cálice Sagrado contém o vinho que representa o sangue perpétuo de Jesus.

É bem evidente que, embora mantendo o antigo costume da Comunhão, a Igreja Cristã convenientemente ignorou e elegeu não ensinar o verdadeiro significado e origem do costume.

Poucas pessoas pensam em perguntar sobre o simbolismo final do sacrifício do Cálice e do Vinho, acreditando que ele vem simplesmente de algumas entradas do Evangelho relacionadas com a Última Ceia.

Qual é o significado do Sangue Perpétuo de Jesus?
Como é perpetuado o sangue de Jesus (ou de qualquer outra pessoa)?

É perpetuado através da família e da linhagem.

Então, por que as autoridades da Igreja optaram por ignorar o significado da “linhagem” do sacramento do Graal? De fato, por que chegaram a denunciar a tradição do Graal e o simbolismo do Graal como heréticos?

O fato é que cada Governo e cada Igreja ensina a forma da história ou do dogma mais propício ao seu próprio interesse. Neste sentido, estamos todos condicionados a receber uma forma muito seletiva de ensino.

Somos ensinados para o que devemos saber, e é-nos dito o que devemos acreditar.

Mas, na maior parte, aprendemos história política e religiosa por meio de propaganda nacional ou clerical, e isso muitas vezes se torna dogma absoluto: ensinamentos que não podem ser desafiados por medo de represálias.

Com relação à atitude da Igreja em relação ao cálice e ao vinho, é evidente que o simbolismo original teve que ser reinterpretado pelos bispos, porque indicava que Jesus tinha filhos e, portanto, que Ele devia ter se unido a uma mulher.

Mas não foram apenas os sacramentos e rituais costumeiros que foram reinterpretados; os próprios evangelhos foram corrompidos para cumprir com o estabelecimento “masculino” da Igreja de Roma – muito parecido com um editor de filme moderno irá ajustar e selecionar as tomadas para alcançar o resultado desejado.

Todos nós estamos familiarizados com os Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João – mas que dizer dos outros Evangelhos: os de Felipe, de Tomé, de Maria e de Maria Madalena?

O que dizer de todos os numerosos Evangelhos, Atos e Epístolas que não foram aprovados pelos conselhos da Igreja quando o Novo Testamento foi compilado? Por que eles foram excluídos quando as escolhas foram feitas?

Havia, na verdade, dois critérios principais para a seleção, que foram originalmente determinados no Concílio de Cartago no ano de 397 DC, para serem finalmente ratificados na era posterior do Renascimento.

O primeiro critério foi que os Evangelhos do Novo Testamento devem ser escritos nos nomes dos próprios apóstolos de Jesus. Mateus era, naturalmente, um apóstolo, como era João – mas Marcos não era um apóstolo de Jesus até onde sabemos; Nem foi Lucas; Ambos eram colegas do último São Paulo.

Tomé, por outro lado, foi um dos doze originais e, ainda assim, o Evangelho em seu nome foi excluído. Não só isso, mas, juntamente com vários outros textos, foi condenado a ser destruído. E assim, em todo o mundo mediterrânico, numerosos livros não aprovados foram enterrados e escondidos no século V.

Somente nos últimos tempos alguns destes manuscritos antigos foram descobertos, com a maior das descobertas feitas (depois de 1500 anos) em 1945 em Nag Hammadi, no Egito. Embora esses livros não tenham sido redescobertos até o presente século, eles foram usados abertamente pelos primeiros cristãos.

Alguns deles, incluindo os Evangelhos mencionados, juntamente com o Evangelho da Verdade, o Evangelho dos egípcios e outros, foram mencionados nos escritos do século II de clérigos primitivos como Clemente de Alexandria, Ireneu de Lyon e Orígenes de Alexandria.

Então, por que esses e outros evangelhos apostólicos não foram selecionados?

Porque Havia um segundo critério muito mais importante a considerar – o critério pelo qual, na verdade, a seleção do Evangelho foi realmente feita.

Era, de fato, uma regulação inteiramente sexista que impedia qualquer coisa que sustentasse o status da mulher na Igreja ou na comunidade. De fato, as próprias Constituições Apostólicas da Igreja foram formuladas nessa base.

Elas afirmam: “Não permitimos que nossas mulheres ensinem na Igreja, somente para orar e ouvir os que ensinam. Nosso mestre, quando nos enviou os doze, em nenhum lugar mandou uma mulher; porque a cabeça da mulher é o homem, e não é razoável que o corpo deve governar a cabeça.”

Esta foi uma afirmação ultrajante sem fundamento aparente, mas foi por esta razão que dezenas de evangelhos não foram selecionados, porque eles deixaram bem claro que havia muitas mulheres ativas no ministério de Jesus: mulheres como Maria Madalena, Marta, Helena-Salomé, Maria-Jacó Cleópás e Joana.

Essas não eram apenas discípulas missionárias, mas sacerdotisas por direito próprio, executando as escolas de culto na tradição nazarena.

Em sua epístola aos romanos, São Paulo faz menção específica de suas próprias ajudantes: Phoebe, por exemplo, que ele chamou de uma “irmã da Igreja” – juntamente com Julia, e Priscilla – que “perdeu seu pescoço para a Causa”. As palavras da era do Evangelho estão simplesmente vivas com as mulheres discípulas, mas a Igreja as ignorou todas.

Quando os Preceitos da Disciplina Eclesiástica foram redigidos, eles declararam: “Não é permitido a uma mulher falar na Igreja, nem reivindicar para si uma participação em qualquer função masculina”.

A Igreja de Roma estava tão assustada com as mulheres que Implementou uma regra de celibato para seus sacerdotes – uma regra que se tornou uma lei em 1138: uma regra que persiste hoje.

Mas esta regra nunca foi exatamente o que aparece na superfície, pois nunca foi para a atividade sexual que incomodava a Igreja. O problema mais específico era a intimidade sacerdotal com as mulheres.

Por quê? Porque as mulheres se tornam esposas e mães – e a própria natureza da maternidade é uma perpetuação das linhagens. Foi isso que aborreceu a Igreja: um assunto tabu que, a todo custo, teve de ser separado da necessária imagem de Jesus. No entanto, não era como se a Bíblia tivesse dito algo assim. Na verdade, era exatamente o contrário.

Continua…

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Por Lawrence Gardner, Karenlyster.com
http://www.karenlyster.com/body_bookish1.html
Tradução Vilma Capuano – vilmacapuano@yahoo.com.br
Grata Vilma!

UMA MENSAGEM AOS TRABALHADORES DA LUZ

Caroline Oceana Ryan

As mais recentes orientações dos Galácticos, Elementais da Terra, Mestres Ascendidos, Fadas e Seres Angélicos conhecidos como o Coletivo:

Saudações, criadores da Nova Terra!

Temos o prazer de ter este tempo para nos comunicar com vocês.

Estamos conscientes, talvez mais do que você, de sua crescente capacidade de ver além do véu que paira densamente entre você e aquilo que existe no etérico, que obscurece sua visão também de como as coisas funcionam em seu mundo.

Nós vemos agora que o véu está desaparecendo, causando muita consternação para aqueles que dependeram dele por tanto tempo para encobrir suas intenções e ações.

E ainda assim, vemos aumentar a sua capacidade de ver através de qualquer prevaricação, ou qualquer forma de encobrimento ou falsa representação, independentemente de como é apresentada.

Você sente as energias crescentes de desespero, caos e perturbação fluindo no mundo atualmente, nas áreas da economia, política, meio ambiente, ou na mídia.

E como vimos antes, estes elementos muitas vezes são o arauto da morte do velho e o nascimento do novo.

Eles não devem ser temidos ou resistido.

Se você às vezes sente medo, estresse, ou se preocupa com alguma coisa, seja a sua saúde ou finanças ou sua casa, ou um ente querido, não reaja como foi treinado para reagir.

Aquele velho mecanismo de medo-pela-sobrevivência já não se aplica à vida que você está vivendo agora.

Você está cada vez mais assumindo a capacidade da 5ª dimensão para ver além das aparências, e esta era uma habilidade há muito tempo reservada em seu planeta para aqueles com a consciência inerente de “psíquico” ou com tecnologia necessária para visualizar as prováveis linhas de tempo e suas muitas ramificações.

Você está superando estas habilidades e tecnologias de todas as maneiras, mas você não sabe disso, ainda não admitiu isto para você mesmo.

“Mas como eu poderia estar sentindo mais do que aqueles que têm habilidades psíquicas ou acesso à tecnologia da 5ª dimensão ?” – Você pode perguntar.

Vamos dizer-lhe: Nenhum dom mental ou “tecnologia” pode se comparar com as intuições da consciência da 5ª dimensão, porque essa consciência é fluida.

A consciência da 5ª dimensão muitas vezes se conecta com as dimensões acima da sua própria, bem como a alma de cada individuo encarnado também o faz.

Mesmo que você acredite que a sua alma ainda é prisioneira de alguma matrix muito antiga, muito escura (você não é mais), você é capaz agora de conceder a si mesmo as percepções dos membros da sua família de alma, seres angélicos, mestres ascensos e outros cuja presença está cada vez mais se tornando real para você.

Você viaja no etérico para falar com eles a cada noite enquanto está em seu estado de sono, enquanto você trabalha para cumprir a sua missão de vida e missão da sua família de alma da Terra, para uma maior fruição.

Isto tem acontecido por algum tempo, mas no atual ciclo energético de luz se derramando na Terra (e ela agora é capaz de absorver mais e mais luz plenamente, graças a sua consciência crescente) que você está mais consciente dessas conversas e ações quando acorda pela manhã.

Isso também faz parte da dissolução do véu.

Você pode despertar e sentir que apenas um momento atrás estava falando com um grupo de pessoas, um amigo que o conhece bem, um mestre ascensionado, um membro do comando Ashtar, um membro da sua família de alma, sua chama gêmea e ainda lembrar um pouco da conversa quando desperta.

E assim, torna-se mais uma questão de evolução e desenvolvimento dessas lembranças que você há tanto tempo desejava possuir, tais como teletransporte, telepatia, ou ajudar os outros a se curar.

Torna-se mais uma questão de perceber que você não é mais quem você era ou o que disseram para você.

Você é altamente qualificado, em parte devido as inúmeras vidas passadas em que você desenvolveu formas de comunicação superior, alquimia energética e capacidade cocriacional, além de suas habilidades inerentes da alma.

Por outro lado, você está agora cada vez mais lembrando da sua missão.

Muitos de vocês são pacificadores, capitães de navio, transmutadores de energia, agentes de cura através do som/luz/cor, embaixadores intergalácticos, historiadores, artistas e muitos outros dons que os trabalhadores da luz executam em um nível superior.

Esta recordação está afetando a sua vida em todos os níveis.

Muitos que vêm até nós com um desejo de fazer perguntas sobre o seu propósito de vida, e quais as competências ou qual é o trabalho especial da sua vida.

Diríamos, que em um nível bastante significativo, você já sabe disto.

É uma questão de se permitir admitir que certas áreas de interesse que você sempre foi fascinado, que você sempre parecia já saber e desejava saber mais sobre ela, mesmo que elas fizessem ou não parte do “trabalho remunerado”.

Tornar-se consciente do seu papel na Terra é uma questão de ouvir a sua intuição interior e a miríade de ideias cheias de luz que surgem em sua mente e coração durante todo o dia, e agir em conformidade com elas, dando a devida atenção pois estão vindo do seu EU superior, são aquelas sugestões que fazem você se sentir leve e positivo, de fato, elas vem de seus guias espirituais e aspecto superior.

E é uma questão de entendimento em muitos aspectos que, você está fazendo o que veio fazer aqui.

Você pode se perguntar como pode ser isto, quando você não se sente que está em um emprego ou negócio ou prática que está cumprindo ou que seja importante, como você o define.

Nós garantimos que você veio principalmente para ancorar e demonstrar interior e exteriormente as energias que estão fluindo para a Terra agora.

Elas tem fluido de forma constante durante mais de trinta anos, e nos últimos meses do ano de 2017 você pode dizer que elas aumentaram poderosamente de intensidade e velocidade de fluxo.

Este “ataque” da luz superior só vai aumentar.

E conforme você viaja a noite para ficar com a sua alma gêmea e família de alma, cada vez mais você recupera o agora, mais do que esquece ao acordar, o sentido de sua verdadeira natureza, do seu papel atual, toda a sua história real que tem sido disfarçada, reprimida, desconsiderada, e negada pelos seus “governantes” por eras.

Queremos dizer que você deve manter aberta a possibilidade, segurar a intenção de assumir o seu atual, autêntico Eu, e que a autoridade, sabedoria e poder do homem ou da mulher, é o suficiente para começar o fluxo de informações, imagens, e luz superior que você procura, e fornecer-lhe as respostas que você anseia.

Nós entendemos que você viveu de certa forma triste e somente com o básico todos esses séculos, durante os quais lutou para subir acima da disputa do seu mundo de muitas maneiras, principalmente das formas exteriores.

Gostaríamos de dizer que você sabia da dor e tristeza do mundo em cada viagem que você se reuniu na Terra, e ainda assim ninguém poderia impedi-lo de sentir alegria e emoção por assumir mais uma escalada de montanha.

Certamente, existem aqueles dias em que você não se sente poderoso, dias em que tem a sensação de estar muito cansado, quando você quer saber se fará a mudança para o estado cristalino ascensionado como você deseja, quando você se critica das inúmeras formas que os seres humanos usam para dizer a si mesmos que eles não são “bons o suficiente”.

Nestes dias, tente com toda a sua força nos ouvir torcendo por você, mantenha a visão do porque você retornou à Terra, e celebre GESARA como um fato consumado, como se ela já tivesse ocorrido em seu tempo.

Porque, na verdade, você carrega a realidade deste belo novo dia em seu próprio corpo, mente e alma.

Não se pode negar que você recentemente desenvolveu mais solidez e prontidão que é necessária para a sua fruição.

Você também veio para ancorar isto! Este novo momento que muda a cada instante, está desenvolvendo a nova Terra que você veio para ajudar a criar.

Entenda que você já está fazendo isto, ou você não estaria aqui tendo consciência disto.

Namastê, Guerreiros da Luz!
Estamos sempre ao seu lado.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
©Caroline Oceana Ryan
Origem: carolineoceanaryan
Tradução e Divulgação: A Luz é Invencível

MENSAGEM DOS ANJOS – APENAS RESPIRE

APENAS RESPIRE
canalizada por Ann Albers
27 de Maio de 2017

Faça uma inspiração.

Mantenha-a dentro de você.

E, então, relaxe e permita que ela flua naturalmente.

Você inspirou durante toda a vida. Você permitiu que o seu corpo absorvesse as frequências úteis e quando expirou liberou todas as frequências desnecessárias. Você não teve que descobrir o processo da respiração, distribuindo o oxigênio em sua corrente sanguínea ou eliminando as toxinas. Todas estas coisas aconteceram natural e facilmente.

Você pode imaginar, querido, que cada respiração sua é um milagre?

A cada respiração você não somente recebe o oxigênio, mas informação. Sua respiração é carregada, não simplesmente com nutrientes físicos, mas, também, com nutrientes energéticos – frequências, informação e até anjos, às vezes!

Podemos percorrer o seu corpo na respiração, como energia, fazer ajustes em seu campo e então sairmos na expiração. Fazemos isto tão facilmente quanto as ondas que transmitem os seus sinais de rádio e televisão, entrando e saindo de você o tempo todo!

Assim, neste momento em que você respira, faça-o com intenção. Pense em algo que queira em sua vida. Peça ajuda. Peça aos anjos para ajustarem o seu campo energético para deixá-lo mais “em sintonia” com aquilo que você deseja receber.

Você quer a paz?
Peça isto.

Abundância?
Peça-nos para ajudá-lo a ressoar com isto.

Um relacionamento?
Peça-nos para ajudá-lo a se valorizar o suficiente para atrair a pessoa adequada.

Você quer um novo carro?
Peça-nos para ajudá-lo a vibrar na autoestima e crença de que você pode atrair um.

Reserve um momento.

Determine a sua intenção.

E agora inspire.

Enquanto você prende a respiração, imagine-a nutrindo-o com luz, preenchendo cada célula, ressoando com cada parte de sua mente, corpo e alma, em uma sintonia gloriosa com aquilo que busca. Agora expire. Você está liberando todas as frequências desarmônicas agora.

Isto realmente pode ser muito simples, querido.
Estamos ”à espera nos bastidores”, como você diz, para ajudá-lo.

Nossa assistência energética é bem mais produtiva e valiosa para você do que qualquer coisa que possamos mudar em seu mundo exterior, porque quando a sua energia está em sintonia com aquilo que você busca, você se torna magnético. Nesta realidade podemos ajudar ainda mais!

Respire…

Deus o abençoe!
Nós o amamos muito.

Os Anjos

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
www.visionsofheaven.com
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata Regina!

ONDA ENERGÉTICA ATINGINDO E TRANSFORMANDO CADA UM DE NÓS

Jenny Schiltz
26/05/17

Uau! Vocês podem sentir esta onda energética que está realmente nos atingindo? Como de costume, parece estar em todo o lugar pela forma como estão nos fazendo sentir – tanto física quanto emocionalmente. Essa energia está nos transformando, não apenas de modo físico como emocional, nos preparando para o que está por vir. Nosso trabalho é simplesmente permitir que o processo ocorra e fazer o melhor para encontrar paz e alegria internamente.

A grande questão para mim tem sido as dores nas articulações. Começaram alguns dias antes de a energia nos atingir, o que para alguns de nós parece uma “pré-onda”. Meu pescoço, ombros e cotovelos realmente doíam, e no dia seguinte eram os meus quadris, joelhos e tornozelos. Felizmente, as dores articulares passaram, mas o que não passou foi essa sensação de ser um tigre enjaulado.

Sinto essa agitação passando por meu corpo, mas com um tom de ansiedade. Estou descobrindo que apenas quero estar lá fora e sob o sol. Movimentar-se é de fato importante também, e embora seja difícil pensar em se mexer quando o seu corpo dói, pode realmente ajudar a movimentar a energia POR SEU INTERMÉDIO.

Outras pessoas estão enfrentando exaustão, inchaço (que é simplesmente muito divertido), dores de cabeça, dores nas costas, aparecimento repentino de problemas crônicos e muitos zumbidos nos ouvidos. Ansiedade e depressão são comuns a cada vez que a energia sofre aceleração, assim como sonhos ruins.

Vocês estão tão-somente removendo de maneira profunda a programação. Alguns estão até mesmo removendo linhas de tempo apocalípticas. Não se apeguem ao que quer que surja, simplesmente observem e em seguida liberem-no. Quando nos apegamos, não permitimos que isso aconteça e de fato criamos laços com tudo, o que faz com que se mantenha firmemente conosco.

Disseram-me que essa explosão energética está nos tornando mais suscetíveis às influências da energia externa. Pode ser a televisão, a mídia social, todos os eletrônicos e até as pessoas. Todavia, funciona de ambas as formas, e estamos suscetíveis também às influências do vento, do sol, das plantas e, sem dúvida, principalmente do riso.

Deixem que o modo como se sentem emocionalmente determine o que é certo para vocês. Para algumas pessoas, assistir a um filme é perfeito e para outras, fazer uma caminhada tranquiliza a alma.

Sei que muitos de vocês estão cansados e querem que isso acabe.
Não vou adoçar a pílula e dizer que vai acabar em breve, porque não vai.

No entanto, ficamos mais fortes, o corpo se atualiza, crescemos e aprendemos, e isso facilita as coisas. Os que estão começando agora esse processo estão sendo afetados por coisas que alguém que tem estado “nisso” por algum tempo nem sequer imaginou. O fundamental é dar um passo para trás e ver como vocês cresceram e mudaram. Permitam que esse conhecimento lhes dê forças para prosseguir.

O chacra cardíaco e o plexo solar estão sendo focalizados no momento e somos indagados: “Vocês podem acessar o seu poder e permanecer em seu coração? ”

Assim, nos mostram as áreas onde não fomos capazes de fazer isso, em que devemos corrigir e justar nossas vidas. Mostram-nos onde ainda mantemos o julgamento, a falta, a insegurança e a dúvida.

Tornem-se observadores e tomem nota do que lhes está sendo mostrado como se vocês estivessem vendo a vida de outra pessoa – essa é a forma como vocês podem ver o que necessita mudar, acrescentar ou afastar-se sem julgamento.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Direitos Autorais: Site original: www.channelingthemasters.wordpress.com
Tradução de Ivete Brito – adavai@me.comwww.adavai.wordpress.com

PAZ NO CORAÇÃO

Mensagem canalizada por Pedro Benatti Alvim
25 de maio de 2017

Os anjos pedem paz no coração, mesmo em frente ao turbilhão de ser e crescer.

Pedem silêncio na mente, no ouvido, e se ver sempre querido desse belo prazer que é viver.

Se afinar, mostrar para si mesmo que é merecedor – e saber, que no caminho da paz, não há dor.

Não há dor em saber que é preciso mudar: basta olhar com consciência que sofrer, como aconteceu até então, é pior que se melhorar.

É feito a agulha de uma injeção… você prefere ficar doente ou sentir um breve picão?

Só que se mudar não é tão breve, mas pode ser leve.

Basta soltar e dizer:

“Eu Sou como a neve que equilibra essa febre. 

  Eu Sou o Amor e aqui estou, pleno de mim e livre de dor.”

Confie, agradeça, solte.
Estamos contigo, juntos.

Que assim seja.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Mensagem enviada por Pedro Benatti Alvim

ACELERAÇÃO IMENSA DOS SINTOMAS DA ASCENSÃO DEVIDO À ONDA DA FREQUÊNCIA

Por Diane Canfield

Amada Tribo da Luz,

Tivemos aceleração dos cronogramas (Linhas do Tempo) nas últimas 2 semanas com a manifestação de uma enorme Onda de energia que teve lugar na noite de 24 de Maio. Ainda estamos neste Corredor / Portal da Ascensão. Você pode encontrar meu post aqui: “O Novo Salto De Frequência Explicado Graças À Conexão Galáctica”.

Você pode sentir-se perturbado e separado da realidade 3D por algum tempo.
Essas sensações só aumentarão.

Também estamos vendo um aumento na clareza da visão psíquica. Muitos outros seres e objetos dimensionais estão aparecendo na minha frente e isso sempre vai de mãos dadas com atualizações contínuas de frequência.

Precisamos continuar a permanecer no momento para que possamos sentir essas melhorias quando elas acontecem. Se estamos focados em um evento futuro já não existimos no momento. Se você está focado em previsões de outros eventos, isso o leva para fora do momento do Agora.

Se você quiser SENTIR mais Ondas e mais ENERGIA você precisará dar o salto para estar totalmente no momento AGORA.

Como vamos fazer isso ?

Estamos plenamente presentes em tudo o que fazemos. Quando nos concentramos em uma coisa, estamos plenamente conscientes da coisa específica que estamos focados. Nós não estarmos em multitarefa, conforme isso é um atributo do sistema da escravidão da 3D, colocado para baixar a nossa consciência, por isso não estamos sintonizados no funcionamento e inspiração do Criador Divino.

A Ascensão é TUDO SOBRE o SENTIMENTO das Ondas, downloads e upgrades (atualizações/melhorias), à medida que eles entram.

Quanto mais expandimos nossa consciência, mais nos sentimos. Não termina nunca o sentir das Ondas – na verdade, é exatamente o oposto. Quanto mais sintonizado no Universo, mais sentirá a Ascensão acontecendo.

Há muitas etapas para este processo e a primeira é a prática de estar no Momento do Agora plenamente.

Dê a quem está falando a sua atenção total e permaneça focalizado em seus pensamentos que no Agora, não no passado ou no futuro. Qualquer projeto que você esteja, trabalhe para funcionar esse projeto total e completamente. Ancore-se e certifique-se de que seus pensamentos estão estabilizados/equilibrados.

Nós nunca evoluímos fora dos SINTOMAS DA ASCENSÃO.

Cada Onda que sentimos é codificada com AS suas próprias atualizações dinâmicas para o nosso DNA.

Não há duas ondas são iguais.

Todo mundo está num nível próprio neste Processo de Ascensão e as Ondas lhe darão exatamente o que você precisa.

Se você sentir os mesmos sintomas que outros, isso mostra que seu nível de vibração está próximo da mesma frequência.

O objetivo é sentir mais, não menos. Aqueles de nós sentem as Ondas como elas vêm, realizando muito trabalho para chegar ao ponto de ser capaz de percebê-las/senti-las – e não é uma tarefa pequena. Este é o processo da Ascensão, SENTIMENTO.

A Ascensão é um processo de Renascimento, então isso significa que, nascer, às vezes será doloroso.

A Ascensão não está graduada na pura alegria enquanto estamos nesse processo. Teremos momentos de pura felicidade e outras vezes de sentir os sintomas de nossas ativações de DNA vindo à tona. Quanto mais você sentir, mais você está avançando no processo.

A Onda ontem à noite foi uma das Ondas mais INTENSAS em que nos defrontamos. Havia um sentimento maníaco que veio junto com ela e uma sensação de não saber o que fazer consigo mesmo. Durou a noite e ao longo do dia. Os efeitos ainda estão chegando.

Alguns sentiram que tinham que ir para a cama porque não havia maneira de lidar com a Onda.

Alguns sentiam os cérebros alvoroçados. Havia uma sensação de não ser capaz de organizar os pensamentos.

Tremores no corpo e problemas de sono.

Pressão corporal intensa.

Movimentos musculares involuntários.

Espasmos dos olhos/visão.

Dor de cabeça.

Alguns experimentaram depressão e tristeza enquanto outros intensa alegria e felicidade.

Vibrações e ver objetos vibrando.

O batimento cardíaco aumentado e a pressão arterial.

Fome Intensa.

Calor no corpo (indo e vindo).

Palpitações cardíacas.

Hoje (26) ainda estamos sentindo os efeitos do aumento de energia e continuará.

Durante essas ondas intensas, é melhor relaxar e aceitar interiormente a onda que vem.

Aterramento funciona muito bem para os sintomas e beber água extra.
Não resista às acelerações.

Relaxe, encontre um lugar tranquilo/feliz, e monte a onda como ela chega – cada onda que eu tenho sentido desde 2010 foram todas únicas. Todas devem ser apreciadas, honradas e respeitadas, pois estas são as ONDAS que alimentam nossa Ascensão.

Nós somos os Guardiões do Processo de Ascensão e estamos aqui para completar a missão que nos foi dada pelo DIVINO CRIADOR.

Eu amo todos vocês !
Em Serviço e Amor

Diane Canfield

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
Copyright © 2017 por Diane Canfield. Todos os direitos reservados. Você pode copiar e redistribuir este material enquanto o artigo completo e todos os links incluídos. http://www.dianecanfield.com/huge-acceleration-of-ascension-in-effect-due-to-frequency-wave/
Tradução Vilma Capuano – vilmacapuano@yahoo.com.br
Grata Vilma!

VOCÊS SÃO OS LÍDERES DO FUTURO

O Conselho Arcturiano da 9ª D
por Daniel Scranton

Saudações.

Nós somos o Conselho Arcturiano.
Temos o prazer de nos conectar com todos vocês.

Libertos das normas sociais, vocês se colocam em uma frequência diferente, um comprimento de onda diferente do que a maioria das pessoas no planeta Terra.

Esta diferença significa que todos vocês estão criando um novo padrão, um novo normal. Você não está aqui para mudar os sistemas atuais ou para mudar a sociedade. Você está aqui para criar algo novo e, ao fazê-lo, muitas vezes você se sente como os estranhos, os excluídos.

Você sente que não se encaixa ou que não consegue manter uma conversa representativa com uma pessoa que se encaixa bem com o modo como a sociedade quer que essa pessoa seja.

Quando você acredita em extraterrestres, canalizações, dimensões, universos paralelos, anjos, fadas e todo tipo de outras coisas, está criando a experiência de não apenas estar separado, mas também não estar incluído.

Este pode ser um caminho solitário que todos vocês escolheram para si mesmos, mas é o caminho pelo qual vocês estão agora e não podem deixar de acreditar no que acreditam. Você não pode se ajustar a uma sociedade que não reconhece as coisas de que fala – como se fossem banais.

Querer se encaixar é um desejo normal e natural. Querer que outras pessoas o acolham, e validem, e serem capazes de se relacionar com você é uma tendência inata que você nasce com.

Permaneça em seu caminho, apesar do fato de que você não se encaixa, e que outras pessoas não o compreendam terá suas recompensas.

Vocês, os estranhos e os excluídos, serão os líderes no futuro.

Vocês serão os únicos que podem explicar o que acontece com todos os outros. Você terá a oportunidade de fornecer orientação e apoio para aqueles que estão lutando com o ajuste ao novo normal, o normal que você aceitou há muito tempo.

Construindo a ponte da sua realidade à realidade da maioria da civilização é uma tarefa pela qual você se inscreveu, mas não espere que venham até você.

Vocês serão aqueles que estendem suas mãos para ajudar, e para servir, e para trazer todos para a 5ª Dimensão.

Nós somos o Conselho Arcturiano,
e nós apreciamos conectar com você.

Mensagem de Kara Schallock – INCORPORAÇÃO

25 de Maio de 2017

Demos certamente um imenso salto nas últimas semanas e isto continua. Você o sente? A vida não é como tem sido. Está completamente diferente. Estivemos liberando muito e continuamos a fazê-lo. O que ajuda é incorporar completamente a Alma.

A Alma é o Você mais verdadeiro e mais perfeito. Eu uso a palavra “perfeito” não da velha maneira, que indica que não há mais crescimento. Eu uso “perfeito” para indicar evolução a cada Momento, alinhado com a Sabedoria da Alma.

É também fascinante observar (sem julgamento) os outros que parecem que não aceitam o Novo. Parece que eles não podem se afastar do caos e do drama em suas vidas. Isto não quer dizer que eu ou nós sejamos melhores do que os outros. Apenas diferentes.

Nós observamos, enquanto mantemos a nossa própria Autenticidade. Isto pode perturbar os outros e, no entanto, o que eles optam por fazer com as suas vidas é escolha deles, não nossa. Na verdade, você pode parecer invisível a eles, pois você não está mais alinhado com fofocas, em tomar partido ou outras “velhas” coisas. Eles simplesmente não podem ouvi-lo e nem compreendê-lo. (Eu me sinto desconfortável ao usar a palavra “eles”, pois eles são também uma parte nossa.)

Viver com uma elevada Consciência não é nada como a 3D. Quando observamos estes ancorados na 3D, eles podem parecer muito infelizes para nós (minha observação). É como se eles quisessem que as coisas fossem melhores, no entanto, não sabem o que fazer, assim eles continuam a criar o drama e o caos (pois isto é o que eles sabem), em vez de assumirem a Responsabilidade pelas suas escolhas.

Eles culpam qualquer coisa ou qualquer pessoa que não a si mesmos. Na verdade, eles são mestres maravilhosos para nós, pois não há nós e eles. Tudo o que podemos fazê-lo é amá-los como eles são. Nós os amamos como a nós mesmos. Há sempre uma escolha de se separar dos velhos programas.

Não podemos salvar ou resgatar os outros. Tudo o que podemos fazer é resplandecer a nossa Luz e a nossa Consciência, sendo fiéis a nós mesmos. Com a Consciência elevada nada nos oprime.

Aprendemos com tudo e esta consciência continua a nos elevar mais e mais. Esta Consciência tem que ser demonstrada através das escolhas e ações. Isto não significa mudar a mente de alguém. Simplesmente é.

Continuamos a eliminar os velhos padrões e crenças. Na verdade, o velho parece tão estranho e desconfortável que simplesmente não podemos sustentar qualquer escuridão ou ignorância. Se houver algo velho deixado na forma de padrões antigos e desconfortáveis, por favor, resolva-os. Eles não se transformarão até que você os enfrente honestamente e com Responsabilidade própria.

Se você sentir como se alguém fizesse algo para prejudica-lo, você ainda tem a energia de vítima dentro de você. Perdoe e libere a energia de vítima. O perdão é realmente Gratidão pelos dons, por baixo das ações. Ambos o libertam. A energia de vítima perpetua a vida que acontece com você, em vez de para você. Isto continua a criar experiências dolorosas até que aprenda a lição. Isto é entregar o seu poder ao outro.

Se você usar a Rosa Sagrada ou outros métodos para liberar esta energia, é imperativo que preencha o espaço vazio criado através da liberação com o Amor da Fonte. Caso contrário o velho retorna e preenche o espaço vazio. O velho vem com o medo, a vergonha, a culpa, o ressentimento e outras emoções menos elevadas que a energia de vítima carrega com ela.

Como eu compartilhei antes, as frequências continuam a se acelerar. Antes que isto começasse a ocorrer, nós tivemos realmente um período de descanso, quando pudemos integrar as energias. Agora, nós integramos enquanto avançamos. Em outras palavras, integramos as frequências mais elevadas no Momento em que as recebemos. Isto poderia parecer estressante, assim é útil meditar e alinhar o seu corpo com as energias recebidas.

A meditação o ajuda a manter elevada a sua vibração e a alinhá-lo com as energias mais elevadas. Por favor, saiba que a meditação não é uma ação que você realize em um minuto e, então, retorna à vida “regular” em seguida. A meditação é uma maneira contínua de estar na vida.

A meditação e as energias mais elevadas que você acessa durante a meditação continuam, enquanto você passa pelo seu dia. Ela o ajuda a estar consciente de tudo em sua vida e das mensagens subjacentes em cada evento que você encontra e cria.

Saiba também que o seu Chacra Cardíaco está limpo, pois é onde a Alma está conectada. Todas as velhas energias, como a dor, a culpa, o ressentimento, a vergonha e outras emoções separadas, baseadas no ego, são purificadas no Plexo Solar, assim, é importante manter este chacra limpo.

Quando você limpa o Plexo Solar, ele se funde com o Chacra Cardíaco para criar um imenso Coração que nada mais é do que Amor, Compaixão, Compreensão, Aceitação e tudo o que é Amor. À medida que evoluirmos, o primeiro e o segundo chacra também se fundirão com o Coração. Isto é parte da Incorporação, de modo que todos os nossos sentimentos, pensamentos e expressão física expressem somente a Alma… através do Coração.

A incorporação é a plena imersão da Consciência Crística, do Ser Crístico. Quando a Incorporação completa é integrada, tudo o que se experiencia é Beleza e Unidade. Não há dualidade. Portanto, não há julgamento ou separação. Todos os aspectos da vida são guiados, pois expressamos e experienciamos somente o Amor em tudo o que pensamos, dizemos, ouvimos, vemos e fazemos.

Quando você integrar as energias de fluxo elevado e estiver alinhado com elas, você fará escolhas e realizará ações baseadas na Orientação do seu Coração. Se não estiver alinhado com estas energias, haverá mais ajuste físico, tal como insônia, dor de cabeça, erupções cutâneas, cansaço cerebral e outros ajustes físicos. Onde quer que seja necessário o ajuste em seu corpo.

Você pode sempre conversar com as partes afetadas de seu corpo e perguntar o que elas precisam de você. Seu corpo físico é um excelente mestre. Ele o guiará de maneiras perfeitas. (É claro, ele é a expressão física da alma).

Preste atenção ao que você vibra e com o que ressoa. Isto pode ser um lugar, uma pessoa ou pessoas, música, alimento… qualquer coisa no ambiente. Passe mais tempo com o que você ressoa e menos tempo com aquelas coisas que o deixam em conflito. Coisas que não o alinham com a sua consciência. No entanto, elas podem ser excelentes professores, também. Você pode sentir isto mais intensamente agora.

Enquanto continuamos a integrar a nossa Incorporação, se algo que seja velho surgir, comemore!

Uma vez que possamos vê-lo e senti-lo, podemos então mudá-lo e transformá-lo. Se ele permanecer no subconsciente e fora da vista, ele continua a criar e nos perguntamos: “O que estou fazendo de errado. Por que eu continuo a experienciar isto?!”

É claro, isto é apenas uma forma de encará-lo. Lembre-se: Somos multidimensionais. Não há apenas uma maneira de ver algo. Abra o seu Coração e a sua mente e veja as diferentes maneiras que algo pode se expressar.

Flua com a incerteza. Isto é com certeza um presente, pois a sua certeza não pode controlar as coisas quando a vida parece incerta. E o controle é um subconjunto do medo. Vê como as coisas estão sempre se revelando para o seu benefício? A incerteza o ajuda a ser espontâneo e a fluir com o desconhecido. Ela o ajuda a fluir com as muitas surpresas que chegam com a incerteza.

Eu não digo: “Isto é o que você está experienciando”, pois isto o colocaria em uma caixa e colaria uma etiqueta em sua testa. Em vez disto, eu sugiro que você possa experienciar isto ou aquilo.

Estamos todos em diferentes espaços de evolução. O que você experiencia pode não ser o que eu experiencio, pois todos nós estamos experienciando exclusivamente para nós mesmos. Quando compreendemos a exclusividade de nossa própria vida, encontramos o nosso próprio espaço de Estabilidade e Força. Encontramos o nosso próprio centro.

Por favor, respeite os créditos ao compartilhar
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – http://www.decoracaoacoracao.blog.br
DE CORAÇÃO A CORAÇÃO – https://lecocq.wordpress.com
http://www.soulsticerising.com
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br